#

América Latina: apostando com tudo para o turismo médico e de saúde

26 de Outubro de 2017 3:27pm
coordinador
América Latina: apostando com tudo para o turismo médico e de saúde

Nestas alturas do século de XXI, ninguém duvida sobre o empurrão sem interrupção e o potencial futuro que mostra no mundo o turismo médico, e em geral todas as variantes do turismo de saúde, categoria para qual normalmente vai parar os procedimentos mais unidos com a profilaxia, estéticas, de bem-estar e qualidade de vida. É que na medida na que nós fazemo-nos um planeta mais velho, mais parece interessa-nos o cuidado da nossa saúde.   

Porém, o crescimento sem precedentes mostrados nas últimas vezes por estes segmentos turísticos que contribuem volumes muito consideráveis de negócio, gera mais empregos e eles ajudaram a uma " maior visualização" de destinos internacionais até agora quase desconhecidos, isso também traz arreado uma competição feroz, a partir de padrões gerais de medição como qualidade, custos, e característica dos serviços que são oferecidos.    

Na opinião de peritos e estudiosos que têm afundadou neste tópico, ainda com uma demanda naquela atividade que deve ficar em elevação nos próximos anos, para os destinos interessados para seguir cobrindo-a lhes resultará vital os tratamentos que propõem, apostar com força pela especialização, a acreditação internacional e a máxima qualidade; como também continuar abraçados com o mais moderno na tecnologia.   

Por outro lado, os peritos recomendam para unir cada vez mais as ofertas de tratamentos médicos e de saúde com recursos naturais ou alternativas revitalizadoras e altamente turísticas, se lembrando de que muitas das doenças do mundo no que nós vivemos está relacionado directa ou indirectamente com um ambiente de agitação e estrés constante, de cotidianidade que acaba esgotar.   

Neste respeito, um destes "gurus" em assuntos associados ao turismo de saúde, e principalmente turismo de bem-estar, o Sr. Alejandro Rubín, diretor da Feira Termatalia Internacional, afirmou recentemente que os viajantes que partem hoje à procura de soluções para seu sanación solicitam, também, experiências transformadoras " que imprense no corpo, a mente e a alma."   

Naquele endereço, o próprio Rubín considerou aquela América Latina é um das regiões do orbe com maiores possibilidades e potencialidades lustrar nestes segmentos modernos, porque a mais de contar com uma riqueza e diversidade natural impressionante, em função do turismo em muitos das suas nações se vêm articular, nos últimos anos pasados, propostas muito competitivas para viajantes interessados por intervenções médicas ou terapêuticas que os ajudem a restabelecer a sua saúde.   

E realmente, a América Latina parece ter assumido o desafio muito seriamente de combinar esforços, investimentos e recursos para o apostar com tudo para um turismo médico e de saúde que já contribui dividendos consideráveis a algumas de suas nações, e tem contribuido para posicionar isto novamente no mapa das áreas mais atraentes no planeta para estes excursionistas de novo tipo.   

Em um mercado seguro e infra-estruturas    

Além dos viajantes europeus que durante bastante tempo se movem ao seu ar para tuda a região Latino-americana, e principalmente o Caribe, poderia ser dito que o mercado mais seguro e "natural" em emissões deste tipo para a área fica situado em Norte América, fundamentalmente nos Estados Unidos.   

Conforme estudos levados a cabo por várias associações de turismo médico da área, com dados confirmados por organizações de agências de viagens e companhias de seguros, que os americanos podem terminar economizando até 75% em custos de procedimentos diversos, se eles decidem receber esses serviços nesses países mais para o sul do seu território.    

Eles também acharão outros benefícios, como o de receber uma atenção pós-operatória ou de recuperação apropriada para as suas exigências, e igualmente preços muito mais disponíveis; para o que quase sempre é somada a possibilidade de desfrutar algumas férias curtas e revitalizadoras no mesmo destino.   

Qualquer coisa tem que nem não o invejar as infra-estruturas sanitárias geradas nas nações latina-americanas para oferecer assistência a estas visitas, às que existem no chamado "primeiro mundo", inclusive os próprios Estados Unidos. Eles normalmente são centros e clínicas de alto nível, muitas vezes ligados com  institutos especializados, e com equipes de doutores e técnicos de alta preparação e experiência.   

É necessário dizer que na região se avançou igualmente em matéria de cumprimentos de normalização pela certificação hospitalar internacional, o que constitui uma ajuda para responder às questões primordiais da padronização na atenção e os serviços, além de um tipo de "padrão" no que muitos destes viajantes confiam completamente.   

Contanto que boa parte das agências de seguros americanas, e do mundo inteiro,  sairam negociar mecanismos e ferramentas que lhe permitem trabalhar sem problemas com estas modalidades turísticas nos destinos da área que mais eles estão as desenvolver.    

Destinos onde, de igual forma, eles formaram numerosos clústers e associações de empresas e organismos que promovem e apóiam o impulso que levam estes segmentos turísticos, enquanto favorecer até mesmo a celebração de eventos de troca que afundam no temático, com alcance regional ou internacional.   

Algumas referências forçadas    

Na lista de nações Latino-americanas e Caribenhas que têm um estrada desenvolvida e certo prestígio como destinos com resultados no turismo médico, seria necessário mencionar para o México, Brasil, Colômbia, Costa Rica, Panamá, Cuba e Argentina. Embora, entre eles, realçam alguns que se tornaram em referências forçadas quando se falar de avanços na modalidade.    

Tal é o caso de México que de acordo com vários clústers de saúde, na atualidade tem uma dúzia de locais especializados em turismo médico onde este tipo de benefícios é associado com pacotes muito atraentes para o relaxamento, o resto e o lazer. Naquele país, os procedimentos de mais demanda estão relacionados com a cardiologia, cancerologia, ortopedia, gastroenterología, cirurgia geral e cirurgia estética.   

Enquanto o Brasil é reconhecido como o destino com mais número de cirurgias estéticas, por detrás de Estados Unidos. Eles asseguram que também ressalta fora a sua grande diversidade de serviços e especialidades, a qualidade na atenção, como também os avanços tecnológicos que pôs em função deste setor.   

Por outro lado, em Colômbia onde existem cidades como Cartagena, com infra-estrutura excelente para tratamentos médicos e cuidados de saúde, próximo a capacidades de hospedar e lazer para os apoiar, advertem um futuro muito promissor nestas duas filiais. Conforme dados da Associação Nacional de Empresários, a especialidade para o que mais as visitas internacionais vão é a cardiologia, e a grande maioria desses pacientes são dos Estados Unidos e a próxima Aruba.   

Contanto que no centro do Caribe se salienta a Cuba que tem a base do prestígio e a estabilidade mais que suficiente em resultados e indicadores de alto nível mantidos durante quase 60 anos para seu Sistema Nacional de Saúde, pôde conformar uma oferta muito integrante de serviços médicos, benefícios em função da qualidade de vida, como também alternativa de formação e superación dentro deste mesmo setor, com garantias gratas de qualidade, personalização para harmonizar com as necessidades, e rigor científico.   

Nas últimas vezes, esta pequena ilha deu bastante do que falar no ambiente da saúde mundial, a partir das competições inquestionáveis de um capital humano muito preparado e as contribuições de seus centros médicos especializados e instituições de investigação. Em muitos dos programas que hoje põe a disposição do mercado internacional, depois de ter os estendido no benefício de seus cidadãos, eles incorporam medicamentos, terapias e produtos surgidos do desenvolvimento de sua indústria biotecnológica e farmacêutica, com realizações provadas em função sanativa ou o alívio para sofrimentos e doenças até ter categorizado como muito difícil de curar, ou até mesmo como incurável.  

Back to top