#

Novo presidente da CHTA promete seguir a fortalecer comunidade turística caribenha

10 de Julho de 2014 4:37pm
Claudia
Novo presidente da CHTA promete seguir a fortalecer comunidade turística caribenha

Ao tomar posse de seu cargo como novo presidente da Caribbean Hotel and Tourism Association (CHTA), Emil Lee disse que sua agenda para os próximos dois anos vai se centrar em seguir a trabalhar para fortalecer as associações nacionais, desenvolver uma comunidade caribenha que impulsione o turismo para a região, e continuar o labor que realizou seu predecessor, Richard Doumeng, durante o último biênio.

Na assembléia geral anual da CHTA, celebrada1 de julho no Hyatt Regency Miami, a organização elegeu uma nova diretiva que estará encabeçada por Lee no biênio 2014-2016.

Lee, geral manager no Princess Heights Hotel de SintMaarten, é o primeiro residente de San Martín que acesse ao mais alto da CHTA e estará acompanhado por executivos da indústria hoteleira de várias ilhas do Caribe.

Entre eles se encontram a primeira vice-presidente da CHTA, KarolinTroubetzkoy, presidente da St. Lucia Hotel andTourismAssociation e proprietária e diretora executiva de AnseChastanet e Jade Mountain Resort; Stuart Bowe, segundo vice-presidente, presidente da Bahamas Hotel and Tourism Association, e vice-presidente senior e geral manager de Coral Towersat Atlantis, Paradise Island, Bahamas.

Mesmo assim, a terceira vice-presidente, Karen Whitt, diretora da Turks & Caicos Hotel andTourismAssociation, e general manager de RegentPalms Turks &Caicos; a quarta vice-presidente, Patricia Affonso Dass, ex presidenta da Barbados Hotel &TourismAssociation e geral manager em OceanTwo Resort &Residences, Barbados, e William "Bill" Clegg, quinto vice-presidente, vice-presidente regional de Serviços e programas de Franquia de ChoiceInternational.

Como tesoureiro tem sido elegido James Apple, presidente e CEO da Aruba Hotel and Tourism Association.

No seu discurso de toma de posse, Lee afirmou: “Como produtos de turismo, nossas ilhas diferem em muitos sentidos, temos diferentes mercados emissores, alguns apontam mais para América do Norte, outros para Europa. Alguns para ambos. A maioria de nossas ilhas tem misturas diversas de alojamento: todo incluído, tempo compartilhado, bed and breakfast, vilas, hotéis para o mercado massivo, pequenos hotéis boutique, hotéis de cadeias e hotéis independentes… Assim, em muitos sentidos, nosso produto turístico é imensamente diverso”.

“Nossa diversidade é em grande parte a substancia que nós unir. Num mundo, uma indústria de turismo, umas regras de negócio que mudam, devemos encontrar o denominador comum das questões que preocupam a nossos membros, provenientes de mais de 30 países”, disse.

Nesse sentido recordou que o Caribe é uma das regiões mais dependentes do turismo, altamente dependente, além disso, do transporte aéreo para o funcionamento de sua indústria turística, e com sérios reptos como o alto custo da energia, os graus de estacionalidade, a localização de mitos de seus principais ativos turísticos em costas vulneráveis à mudança climática e os altos impostos.

Olhando para a organização, sua estrutura e membros, recordou que está formada por associações nacionais que tem ampliado seu horizonte dando cabida, além do setor hoteleiro, ao iatismo, a propriedade compartida, vilas e condomínios, cruzeiros, restaurantes e outras atividades. Deveriam de mudar também as perspectivas e o enfoque da CHTA? perguntou.

Deveríamos construir pontes mais fortes para outras entidades do turismo e a hospitalidade como a CTO e a FCCA (Florida Caribbean Cruise Association)?continuou.

Igualmente sublinhou que a organização deve assumir um papel mais ativo no impulso à responsabilidade social nesta indústria.

Para lograr todos os objetivos propostos e mais, a única via para a CHTA é criar uma comunidade caribenha real e envolver aos sócios estratégicos e os médios.

A força e efetividade da CHTA dependem da solidez das associações nacionais. Assim esta organização deve servir como entidade coordenadora e centralizadora para essas associações, concluiu.

Back to top