#

Chile: surto social causa estragos no turismo

28 de Outubro de 2019 11:05am
Redação Caribbean News Digital Portugues
chile-estallido-social

A Federação de Empresas de Turismo do Chile (Fedetur) informou que mais de 80% do item recebeu cancelamentos de reservas, resultado da crise social neste país.

Para monitorar a operação dos serviços de turismo nas diferentes regiões, a Fedetur realizou uma pesquisa do setor.

Os resultados mostraram que, em relação às reservas, 80,4% dos entrevistados receberam cancelamentos; 81,4% correspondem a reservas de curto prazo (1 a 7 dias); seguido de 11,6% para reservas entre 7 e 15 dias; Os 7% restantes são para reservas além de 15 dias.

Dos que receberam cancelamentos, 40% indicaram que correspondem a menos de 10% do total de reservas. Enquanto 20% disseram que representavam 11% a 25% das reservas. Enquanto isso, 22,2% dissera que os cancelamentos excedem 51% das reservas.

Os mercados em que os cancelamentos ocorreram principalmente são Estados Unidos, Brasil, Espanha, França e Grã-Bretanha.

Chame à calma

O presidente da Fedetur, Ricardo Margulis, pediu calma ao setor. Instando a manter os serviços turísticos funcionando, na medida do possível. A fim de tornar o impacto no turismo o menor possível.

Margulis também condenou os ataques que foram registrados em alguns hotéis. Como o que afetou ontem o hotel Principado das Astúrias, em Santiago, que obrigou os funcionários das instalações e os turistas presentes a deixar o local.

"Com muita dor e desamparo, estamos vendo a destruição de espaços naturais importantes em diferentes áreas do país, o que também afetou empresas de turismo, infraestrutura e patrimônio que são importantes para essa atividade", afirmou o timoneiro da Fedetur.

O órgão sindical também reiterou o apelo ao fim da violência registrada em diferentes cidades do país.

“É difícil entender esse nível de dano e destruição, que nada tem a ver com as demandas sociais legítimas expressas pelos chilenos, uma vez que esses ataques estão prejudicando o país inteiro sem distinção. Para o Chile, e para nós, como indústria, é essencial que a ordem pública e a normalidade sejam recuperadas o mais rápido possível”, afirmou o representante do sindicato.

Sobre o que acontecerá com os cumes da APEC e da COP25, Margulis disse que, de acordo com o que fora discutido com as autoridades, as duas cumes são mantidas.
 “Seria um bom sinal quando a situação começar a normalizar e houver garantias para sua realização", afirmou.

Ele também destacou a importância, assim como os eventos indicados acima, de que seja realizada a final da Copa Libertadores de América, para a qual há um alto nível de reservas e onde se prevê uma boa ocupação hoteleira.

Fonte: Publimetro

 

Back to top