#

Brasil impele o turismo Sul-americano para Cuba

12 de Abril de 2018 11:09am
coordinador
Brasil impele o turismo Sul-americano para Cuba

Cuba tem como meta para superar em 2018 a cifra de 36 mil turistas brasileiros, mercado que fechou o último ano com um crescimento importante, e no primeiro trimestre do presente ano manteve aquela tendência.   

Mariano Fernández, Consultor de Turismo de Cuba para a Colômbia, Peru, Brasil e Equador, declarou para Caribbean News Digitalque não são um crescimento na base de valores mínimos prévios, mas que o mercado brasileiro ocupa a posição 15 dentro dos emissores para Cuba, melhorando os 21-22 que mostrou durante tudo 2017.   

Brasil terminou com quase 25 por cento de crescimento o último ano, com os valores absolutos de visitas muito interessantes, que Fernández comentou no contexto da feira WTM Latin América, celerada em São Paulo dos três para cinco de abril.   

Conforme o funcionário, apesar de não ter uma conectividade aérea direta, de Janeiro até Março passado é apreciada uma tendência favorável, com mais de 11 mil viajantes, razão por que eles aspiram terminar 2018 com 36 mil 500; "embora eu penso que nós pudéssemos aproximar aos 40 mil", acresceu ele.   

Os brasileiros chegam para Cuba graças a conexões das linhas aéreas da COPA, Avianca ou Latam, enquanto usando o host de Lima ou de Bogotá, explicou Fernández, e ele somou que eles também estão notando um crescimento muito notável da chegada por marinha, arreada ao desenvolvimento da atividade de cruzeiros que mostraram para o destino Cuba nos últimos dois anos.   

O que procura o brasileiro em Cuba?    

As praias cubanas, Havana, e nós já estamos posicionando de alguma maneira, levar em consideração, os destinos das ilhas do arquipélago norte de Cuba; também há um segmento importante, tradicional e histórico que é o de eventos e congressos nos quais o brasileiro sempre teve uma participação importante, Fernández indicou.   

O funcionário cubano considerou que a conectividade que propiciam as linhas aéreas Copa e Avianca facilita ao segmento de incentivos porque pode combinar o lazer perfeitamente com o trabalho nas grandes empresas, com os seus eventos de encerramentos anuais, de lançamento de produtos ou de discussão de estratégias comerciais ou corporativas.   

Apontou naquele senso a uma série de hotéis de gama alta localizada nas ilhas de norte de Cuba, dotada com capacidade para eventos, com benefícios modernos.   

Por isso FITCUBA este ano devolveu a Ilha Santa Maria, porque este é, dentro dos polos turísticos cubanos, o polo de mais crescimento e o mais jovem, já com um nível de quartos que supera os 15 mil, detalhara ele.   

Potenciam Oriente cubano como destino para os brasileiros   

A região oriental de Cuba destaca como outro dos destinos do arquipélago Caribenho aquele quer potenciar para o turismo brasileiro. De acordo com Fernández, a conectividade via Copa (Panamá-Holguín) duas vezes por semana localiza o passageiro brasileiro diretamente na área que antes visitara em circuitos e viagens que usam o transporte por ônibus rodoviário.   

Ele comentou viajar através de ônibus rodoviários pode estar bonito, mas leva tempo demais e é um pouco mais caro quando o pacote final; daí que com a possibilidade de viajar direto por via aérea do Panamá encurtam o tempo e se podem preparar pacotes que incluem mais destinos turísticos.   

A área oriental é uma conjunção entre a montanha e o mar, Fernández indicou, e apontou que a linha seguida para as praias do norte de Holguín - para os pés da serra - e para os parques naturais como o Parque Nacional Alejandro de Humboldt, Patrimônio da Humanidade de 2001, situado entre Holguín, a capital arqueológica de Cuba e Guantánamo.   

Ele se lembrou disso em Holguín são os enterros de aborígines mais velhos, aquela é parte das viagens guiadas, têm muitas tradições culturais nativas, são os cafezais, e na vizinha província Guantánamo é a Baracoa, a Cidade Primada, primeira vila fundada pelos espanhóis, em 1511.   

Cuba na WTM Latin América a 2018     

A delegação cubana para a WTM-LA 2018 era integrada por representantes das principais cadeias de hotel da ilha, principalmente essas estrangeiras que têm maior prestígio a nível internacional e que administram hotéis em Cuba, como Meliá, Iberostar, Blue Diamond, manifestou o Fernández.   

Também estava presente o principal receptivo cubano, CUBATUR, e alguns meios. Nós pensamos que a pluralidade de representantes lhes trará um maior estabelecimento dos resultados do mercado, considerou.   

Na opinião do funcionário, o próprio comportamento do mercado brasileiro foi condicionar a participação de Cuba em feiras do setor turístico que acontecem no gigante Sul-americano, com o que as delegações são a cada vez mais numerosas, tanto para a WTM-LA sobre a Feira de Turismo ABAV.   

Clarificou isso a partir de 2014 o Ministério de Turismo de Cuba (Mintur) reiniciou os esforços para recuperar o mercado brasileiro, determinado como o potencial que representa já que o "Brasil em si mesmo é um continente.”.   

Fernández lamentou que aquele potencial tivesse sido pouco explorado, e que hoje os esforços se concentram basicamente nas cidades principais, como o São Paulo e Rio.   

Nós estamos o incorporando Manaos e Salvador de Baía a partir de uma nova frequência que comunica para o Panamá, via Copa Airlines, que despertara um interesse especial de aquela região do nordeste de Brasil para Cuba, somou.   

Campanha institucional de face para o mercado brasileiro

A aspiração de Cuba de aumentar o número de visitas brasileiras é sustentada em uma campanha institucional de marketing do destino que acontece durante o ano inteiro em cenários como a televisão, o rádio on-line, os meios especializados e as redes sociais.   

Para 2018, as autoridades do de Mintur preveem, entre outras ações, diversificar a rede de vendas do mercado; manter o posicionamento de Cuba como um destino de sol e praia, combinado com outros atributos culturais, históricos e patrimoniais; e trocar com organismos que geram um crescimento da modalidade de Eventos e Incentivos.   

De igual forma, eles apoiarão o posicionamento de Havanatur-Brasil como operador de turismo especialista de Cuba, de forma que isto contribua para promover o destino; e se fortalecerá a aliança com Braztoa (Associação brasileira de Turoperadores) a realizar ações de comunicação e vendas.   

O número de visitas brasileiras para Cuba   

Ano                                        Cifra

2011                                       14.507   

2012                                       16.174   

2013                                       17.573   

2014                                       19.513   

2015                                       22.001   

2016                                       22.862   

2017                                       35.600  

Back to top