#

América Central: avançar para uma região multidestino é a meta

13 de Janeiro de 2020 8:27pm
Redação Caribbean News Digital Portugues
centroamerica-turismo

Belize, Guatemala, El Salvador, Honduras, Nicarágua, Costa Rica, Panamá e República Dominicana apostam à integração turística regional como um meio para contribuir de maneira substancial ao desenvolvimento da América Central.

Em 2018, a região recebeu 17.7 milhões de turistas, apresentando um crescimento de 2.7% com respeito ao ano anterior, o qual oferece uma oportunidade para dar um salto de qualidade na gestão da oferta turística dos países.

Avançar para uma região que se consolida como um multidestino excecional é o objetivo. América Central tem 47 portos marítimos e 29 aeroportos, os quais asseguram a conectividade entre os países para garantir o fluxo de carga e passageiros que visitam a região. É por isso que trabalham na modernização de sua infraestrutura para facilitar e garantir a melhor experiência para os viajantes.

Os projetos de infraestrutura da América Central a cada vez têm mais força e visibilidade à hora de competir pelos investimentos globais. Isto se deve a que, com novas linhas de metrô, aeroportos, portos marítimos, estradas, comboios, complexos logísticos, projetos de geração energética, plantas de tratamento de água, e outros, as diferentes nações pretendem elevar a competitividade da região.

No caso de Belize espera-se que Alaia, um hotel da coleção de hotéis Marriot abra no Cayo Ambergris em 2020. Além disso, espera-se que, em 2021, o Four Seasons Resort and Residences Caye Chapel deverão estrear no país centro-americano.

guatemala-catm-2019

Por sua vez, Guatemala está comprometida com a conexão com Flores, Petén, uma das zonas simbólicas do país para a atração de turistas interessados em arqueologia e cultura ancestral. A linha aérea Avianca conta com 2 voos diários e diretos desde Cidade de Guatemala para o aeroporto de Flores, operados com aviões ATR72 600 com capacidade para 68 passageiros, com tarifas muito acessíveis, tanto para os turistas nacionais como estrangeiros.

No caso de El Salvador, durante 2019, declarou 21 quilômetros de praia como Zona Turística de Interesse Nacional, um novo passo para se converter em um dos principais referentes turísticos do surf na região da América Central, através da declaração realizada no âmbito de Surf City, a iniciativa dinamizará o corredor turístico dando um impulso ao desenvolvimento de infraestrutura e turismo.

Além disso, o país mais pequeno da região planeja a implementação de mais de quatro megaprojetos destinados à mobilidade e transporte de pessoas/bens, entre os quais se inclui um comboio e um novo aeroporto com o que se procura dar um grande impulso ao desenvolvimento económico e social de El Salvador.

No caso de Honduras, em novembro de 2019, abriu-se uma nova frequência de viagem da linha aérea Air Europa que enlaça o Aeroporto Adolfo Suárez Madrid Barajas com o Ramón Villeda Morales. Seu horário garante uma perfeita e cómoda conexão com o resto dos destinos e simboliza o interesse da divisão aérea por afiançar-se e crescer em América Central.

Assim mesmo, em dezembro do mesmo ano, a linha aérea WestJet chegou a Roatán com mais de 130 turistas provenientes do Canadá, inaugurando assim uma rota direta que potenciará o turismo nesta paradisíaca ilha do Caribe hondurenho.

Enquanto, Nicarágua segue trabalhando em 20 projetos relevantes baixo a Lei de Incentivos para a Indústria Turística do país da América Central entre os que destacam hotéis, restaurantes, centros desportivos, parques e melhorias nas estradas.

Amostra disso é que uma nova cadeia de hotéis, DoubleTree, iniciará operações na Nicarágua em 2020. Esta operação é sinónimo de facilidades e opções para fazer negócios em Managua, capital que nos últimos anos mostrou um crescimento em termos de infraestrutura pública e privada.

Assim mesmo, impulsiona-se a costa caribenha da Nicarágua como uma zona de alto desenvolvimento turístico para investimentos de hotéis, restaurante e destinos de praias, atualmente se está a desenvolver a nova estrada que liga Managua com Bluefields, fazendo um avanço para o comércio e turismo local.

Por sua vez, Costa Rica continua avançando na habilitação de novos voos e conexões áreas. Em 2019, Iberia assinou com o Instituto de Turismo da Costa Rica um acordo para a promoção desta nação na Europa, concretizando-se além disso o primeiro voo do novo Airbus A350, o avião mais avançado do mercado na rota San José - Madri, sendo este um claro compromisso com a sustentabilidade por parte de Costa Rica, já que esta aeronave representa 25% menos nas emissões de CO2.

O país da América Central continua a posicionar seu Centro de Convenções que albergou mais de 15 eventos de carácter internacional, com o qual Costa Rica avança em seu objetivo de se converter em destino MICE de referência em América Latina por três características específicas, como a excelência no serviço, eficiência operativa e sustentabilidade.

Com 89 destinos diretos em todo o mundo, Panamá consolidou-se como o país com maior conectividade aérea de América Latina. Além disso, agiliza estudos para as obras da quarta ponte sobre o Canal do Panamá.

A República Dominicana continua a ser a porta de entrada entre América Central e Europa. O país caribenho foi eleito pelas linhas aéreas para inaugurar voos novos a Madri, Bruxelas, Itália e outros destinos europeus. Durante o ano 2018, o Conselho de Fomento Turístico (CONFOTUR) aprovou sessenta e cinco (65) projetos turísticos, com um investimento aparente de USD 3,057 milhões.

Back to top