#

Iguaçu: Recebemos aproximadamente três milhões de visitas ao ano

02 de Abril de 2018 2:43pm
coordinador
Iguaçu: Recebemos aproximadamente três milhões de visitas ao ano

Entrevista com Jandira Cordeiro, do Departamento de Promoção de Iguaçu,no âmbito de MITT 2018, Rússia, Moscou.

Qual é o retorno de turistas que tem Iguaçu, depois da sua nominação como patrimônio mundial da UNESCO?

De 1986 o grande crescimento do turismo foi na década dos anos 2000. De 2007 até hoje temos alcançado um crescimento de 10 até 15% anual. Aquilo se deve em parte que nós fomos eleitos entre as maravilhas da natureza e nós que temos um trabalho importante de gestão. Em Iguaçu criou-se um grupo encarregado da sua participação em feiras, eventos da esfera corporativa que é uma área muito forte porque recepciona eventos nacionais e internacionais. Isso tem sido todo um trabalho junto com Itaipu, secretaria de turismo. Nós estamos procurar o posicionamento como destino internacional reconhecido pela excelência de seus serviços e a qualidade de sua infraestrutura.

Quantas pessoas viajam para Iguaçu que não são brasileiros, de fora de Brasil?

Em termo geral nós temos as cifras oficiais, mas neste momento não posso dizer. Recebemos aproximadamente três milhões de visitas ao ano, de esse um milhão são turistas estrangeiros que vêm especificamente para visitar as cascatas e participar em eventos.

O trajeto que faz um estrangeiro que pode ir para a parte argentina das cascatas e depois voltar para o Brasil, à liberdade de jogo que tem em um país e que não tem em outro ou as ofertas gastronómicas que tem diferenças nos dois destinos: Vocês têm a medida de qual é o fluxo turístico entre os dos países?  

Geralmente o turista estrangeiro que viaja para América do Sul visita Brasil, Argentina e Peru. Mas nós não o conhecemos qual é o fluxo de turistas entre esses países. Sabemos o que chega para Foz Iguaçu para visitar as cascatas. Mas o número de pessoas que vêm da Argentina para visitar-nos eu não conhece essa estatística nós não temos.

Iguaçu tem fronteira para três países: Paraguai, Argentina e Brasil. Paraguai é o mais longe, mas: Vocês têm também fluxo de turismo para aquele destino?

Um pouco, geralmente o turista internacional vem focado nas quedas e não tem interesse na procura de outras cosas. O brasileiro vá para Paraguai atraído pelas compras. Também há quem vá para Paraguai porque lhe interessa visitar aqueles dois lados das cascatas que são completamente diferentes. Quando nós fazemos a promoção de Foz de Iguaçu falamos de três países e um só destino. Também nós promovemos o lado argentino. É maravilhoso saber que viajará para Brasil e conhecerá outro país, que ele está hospedado em Iguaçu mas ele também conhecerá o outro lado com todas as suas diferentes ofertas.

Como um turista pode passar de um lado para outro da fronteira?

Se ele não tivera necessidade de visto para atravessar Argentina, ele não tem nenhum problema.

O europeu normalmente não necessita visto e passa diretamente?

O europeu não necessita visto, mas os asiáticos e os de Meio Oriente sim o necessitam. Em caso de ter visto prévio então também pode passar. Nós estamos falando de temas de fronteiras, de emigração que não se pode obviar.

As águas termais são um dos elementos mais importantes de Argentina. Os spas e os tratamentos médicos são dos pontos mais fortes de Iguaçu, porém vocês não transmitem internacionalmente essa imagem. Vocês têm alguma política de informação sobre este tema?

Agora começará um novo ciclo a partir de Termatalia. Nós não temos acordado ainda com relação a isso. Esse evento foi primeiramente para despertar o nosso empresariado, pois se trata de um mercado que nós podemos incluir em Foz de Iguaçu.

Então não só viria para apreciar a natureza, fazer desportes, passar um tempo de relaxamento, seria vir para Iguaçu também para fazer um tratamento, para cuidar e melhorar a saúde. Mas nós não temos ainda nenhum spa, nem não temos espaço dirigido para isso. Nós temos dois hotéis Resorts, bom estruturados, mas não são vendidos como destino de saúde. Isso é uma política que será modificada.

De 150 hotéis só têm dois que utilizam águas termais, que vivem da água.

Exatamente, isso é uma questão cultural, também nós, os brasileiros, devemos fixar a nossa atenção neste. Por isso o nosso secretário procurou trazer este evento para despertar aos empresários e motivar às pessoas no uso das águas termais para a saúde. Aquele é um mercado no que nós podemos trabalhar muito forte.

Existia uma imagem de Foz de Iguaçu como um destino caro, eu imagino que depois da inflação do real, junto ao euro e o dólar, está mais acessível. O qual é a gama de preços dos hotéis em Iguaçu?

Os hotéis meios entre 100 e 150 dólares à noite, nós estamos falar de hotéis de quatro ou cinco estrelas. O preço varia muito, pois se têm 150 hotéis com ofertas de todos os preços, que podem oscilar de 20 até 1000 dólares.

Quer dizer isso que estão empezando para competir com os hotéis de Iguaçu que estão na parte de Argentina?

 Agora com o preço do dólar estável nós temos mais competência. Nosso trabalho com a agência na formação, a nossa maravilhosa e variada infraestrutura hoteleira que vá de hotéis de luxo, hotéis com águas termais, até outros mais simples. O nosso labor com os agentes de viajes, os operadores mostrando essa infraestrutura e os serviços altamente qualificados que nós temos, com guias que falam em idiomas russo, chinês, coreano, nos permite ser competitivos.

O qual é a gastronomia que vocês têm em Iguaçu?

Aqui nós não temos uma identidade muito forte em termos de gastronomia se compararmo-la com outros destinos mais para o sul, por exemplo, porque em Iguaçu se tem uma mistura muito grande. Aquela era uma cidade pequena que cresceu muito e agora é dez vezes maior devido principalmente à chegada de emigrantes de todo Brasil quando vieram para trabalhar nas obras da represa de Itaipu. Esta é uma cidade internacional onde nós temos restaurantes índios, árabes, argentinos, paraguaios. O que nós temos originário de Iguaçu são o peixe e muita carne brasileira, com certeza o churrasco que é um legado da influência do sul, dos gaúchos argentinos. Nós temos uma mistura culinária internacional.

Vocês têm alguma rota para fazer propriamente de Foz, independente, que seja especial?

Sim, hoje se pode chegar às cataratas caminhando, de barco ou de helicóptero. Também nós temos os catamarãs como produto novo que permitem ver a “Triple Fronteira”. Isso permite um olhar de o rio Paraná ao rio Iguaçu quando desemboca mesmo no Paraná e passa por debaixo das pontes.

Também hoje constitui um atrativo turístico a própria infraestrutura no âmbito das três fronteiras, que foi reabilitada recentemente. Outro produto novo é o Bar de Gelo para aqueles que querem refrescar do calor. Aquele está a 10 graus debaixo zero com seus copos de gelo, as paredes também são de gelo cristalizado. Nós temos o vale dos dinossauros que é como uma floresta onde se podem ver dinossauros robotizados, até se tem um tiranossauro Rex de 20 metros. Está o museu de cera e as maravilhas do mundo em miniaturas.

Quantos quilómetros tem a área de Iguaçu?

Foz de Iguaçu tem 402 quilômetros em quadrado, mas a região das cascatas que é utilizada tem aproximadamente 12 quilômetros, da entrada do parque nacional até o fim do passeio. Aquilo são 12 quilômetros de parque nacional.

Quanto tempo de avião de São Paulo, Rio de Janeiro e Porto Alegre?

De São Paulo uma hora e 20 minutos de voo, do Rio é uma hora e 50 minutos e de Porto Alegre deve ser uma hora.

Bom, mas eu preciso faze-lhe uma pergunta mais: O jogo não é permitido?

Não, em Brasil não é permitido.

Bom, eu não tenho mais para perguntar. Se você quer comentar alguma coisa você pode.

Sim, para que as visitas saibam: Foz de Iguaçu é um destino seguro e muito preparado para receber turistas espanhóis, alemães, russos.

Nós estamos hoje com um projeto de lei, atualmente no congresso nacional para a legalização dos jogos de azar, casinos bingos e outros jogos. Este projeto de lei está em regime de urgência para ser votado e libertará os jogos para todos os destinos turísticos de Brasil. Inclusive Embratur se converterá em uma agência nacional de turismo, hoje é uma empresa estadual, quando passe para agência será mais atrativa, mais operacional para fazer negócios e associar-se com entidades públicas e privadas, isto com segurança incrementará o turismo.

Back to top